Pesquisa revela diminuição do apoio dos britânicos ao fracking

 

Uma pesquisa recente do governo britânico descobriu que diminuiu o apoio dos ingleses ao fracking no país, tecnologia usada para a extração de gás natural do folhelho de xisto, devido aos impactos causados às pessoas e ao meio ambiente. Quanto mais informação sobre o polêmico processo de extração, maior a rejeição.

Captura de Tela 2015-08-04 às 10.58.08
O Departamento de Energia e Mudanças Climáticas (DECC) britânico entrevistou 2.118 pessoas sobre a capacidade energética da nação entre 24 de junho e 28 de junho. 46% dos entrevistados disseram aos pesquisadores que não tinham opinião sobre o fraturamento hidráulico, chamado fracking. Mas entre aqueles que não têm uma opinião, 28%, disseram que se opõem a ele, contra 21 % que manifestaram o seu apoio.

“Esta mudança no sentido mais de oposição aconteceu gradualmente ao longo dos últimos 18 meses, com o apoio estando em seu nível mais baixo desde que a pesquisa começou [em 2012]”, disse o relatório do DECC.

O setor de gás natural de xisto está em fase inicial no país. Em junho, o conselho do Estado de Lancashire proibiu licenças para testes exploratórios de operações de fracking pela Empresa Cuadrilla em Preston New Road e Roseacre Madeira. O conselho disse que indeferiu os pedidos por causa do ruído, impacto visual e impactos “potencialmente graves” na infraestrutura rodoviária e do tráfego, respectivamente.

O British Geological Survey em 2013 estimou a existência de bacias de xisto no país de 1,3 quatrilhões de pés cúbicos de gás natural, um nível que segundo o governo poderia ajudar a economia diminuindo a importações de gás natural. Cuadrilla estima que pode haver até 200 trilhões de pés cúbicos de gás natural de xisto em Lancashire. A empresa tem sido alvo de protestos desde 2013, quando a oposição ao fracking se intensificou na aldeia do sul de Balcombe.

A pesquisa britânica apurou que a oposição à tecnologia de exploração poluente está vinculada ao ‘conhecimento’, pois mais de metade das pessoas que disseram que sabiam “muito” sobre o faturamento hidráulico expressaram desaprovação durante as entrevistas.

O único grupo a ser mais favorável é daqueles que não ouviram falar de fracking, dos quais 12% o apoiam e 7% se opõem a ele.

A pesquisa foi realizada com britânicos com 16 anos ou mais. Os dados foram analisados por sexo, idade, grau social e a região.

 

Fonte:

http://www.upi.com/Business_News/Energy-Resources/2015/08/04/British-support-for-fracking-waning/5921438680989/

Comente!

%d blogueiros gostam disto: