Comunidades da Califórnia protestam contra fracking em perfurações próximas a casas e escolas onde vivem africanos americanos e latinos

Mais de 100 crianças, pais e líderes comunitários com camisas verde-amarelo fluorescente e sapato de cor laranja marcharam através de um bairro de Sul de Los Angeles cantando “Hey, hey, ho, ho, este local de perfuração tem que ir!”

Captura de Tela 2015-07-27 às 10.16.41
At the protest in South Los Angeles, many of the child participants were dressed as canaries, to evoke the idea of “canaries in a coal mine.” (Haya El Nasser)

O esquema de cores dos manifestantes que simbolizavam os canários foi intencional. Havia até mesmo uma gaiola gigante na frente de um local de perfuração de petróleo em West Jefferson Boulevard que as crianças da vizinhança, a maioria deles Africano americano ou Latino, lotaram, segurando cartazes pedindo “Deixem esses canários livre.”

Segundo a reportagem do Al Jazeera, os protestos contra a perfuração de petróleo convencional e fraturamento hidráulico – conhecido como fracking – perto de escolas e casas em bairros de minorias pobres agora estão atingindo novos patamares em toda a Califórnia à medida que mais estudos mostram que a perfuração de petróleo desproporcionalmente ocorre em comunidades pobres de cor .

Na semana passada, uma família Kern County entrou com uma ação contra o governador da Califórnia, Jerry Brown, e reguladores estaduais cobrando do estado novos regulamentos para operações de fracking visando proteger a saúde dos estudantes latinos nas escolas públicas já que ainda permitem poços nas proximidades.

Fracking é um tipo de estimulação que injeta água somada a produtos químicos no solo para extrair petróleo ou gás.

Não há agências monitorando se a água residual proveniente de operações de fracking é tratada antes de se infiltrar no solo. Também não se sabe se a água contaminada está armazenada em locais sem forro ou é usada para irrigar as lavouras.

Captura de Tela 2015-07-27 às 10.18.33Em processo aberto pelo Centro sobre Raça, Pobreza & Meio Ambiente , argumenta-se que os regulamentos do fracking que entraram em vigor 01 de julho violam as leis do estado de anti-discriminação por não proibir fracking na proximidade de escolas.

“Califórnia deve garantir a todas as crianças o direito à educação, mas também a igualdade de educação”, disse Madeline Stano, advogada da entidade que entrou com a ação. “Somos o primeiro caso em que estamos cientes de que as questões de petróleo e gás estão ligadas às leis dos direitos civis existentes.”

O estado proíbe a discriminação intencional ou não com base em raça.

Leia na íntegra a reportagem:

California Communities Mount Protests Against Fracking, Oil Drilling

Comente!

%d blogueiros gostam disto: