Com ação direta e pacífica, manifestantes bloqueiam rodovia que dá acesso à Termelétrica de Pecém, no Ceará

Mais de 500 pessoas, muitos delas que acreditam num futuro sustentável com energia limpa e renovável, percorreram na tarde deste sábado, 14, parte da rodovia que dá acesso à Termelétrica de Pecém, no Ceará, para protestar contra um dos projetos da indústria fóssil mais sujos e perversos. A ação direta e pacífica fez parte do movimento global LIBERTE-SE DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS – Break Free 2016 – que no Ceará teve como tema o LIBERTE-SE DAS TERMELÉTRICAS.

A ação no Ceará começou na comunidade tradicional de Bolso pertencente ao território indígena Anacé e uma das que foi mais impactada pela indústria termelétrica e pelo Complexo Industrial e Portuário do Pecém. Pela rodovia passam os caminhões com toneladas de carvão que abastecem a termelétrica, gerando uma energia cara, poluidora e injusta.

A articulação local ficou a cargo dos integrantes do Fórum Ceará no Clima, que integra o movimento LIBERTE-SE que está sendo organizado no país pela 350.org Brasil e América Latina, COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil e pela Sustentabilidade – e movimentos sociais e climáticos.

Participaram representantes das comunidades que são fortemente atingidas pelas secas ou pelo avanço do mar na zona costeira, bem como de comunidades indígenas e pescadores, estudantes universitários e secundaristas, ambientalistas, acadêmicos e muitos outros segmentos. Muitos dos que participaram da ação atuam em movimentos como o Coletivo Agroflorestar, Povo Anacé, Ecosurf, RUA Juventude Anticapitalista, SOS Cocó, Jangu Ambiental, entre outros apoiadores.

Veja com foi a cobertura ao vivo – https://liberte-se.org/ao-vivo/

“Tomamos em nossas mãos o poder de mudança da matriz energética brasileira, e seguimos combatendo as termelétricas a carvão, gás, petróleo e o FRACKING. Ativistas climáticos estão ganhando as batalhas por um futuro justo e renovável, e juntos vamos derrotar a indústria fóssil”, garante a diretora da 350.org Brasil e América Latina, Nicole Figueiredo de Oliveira.

Vitória da vida: Umuarama é território livre do FRACKING!

Com presença de centenas de pessoas, os vereadores de Umuarama, no Paraná, aprovaram por unanimidade na manhã deste sábado, 14, projeto de Lei que proíbe operações de FRACKING no município. Antes, os manifestantes fizeram uma marcha pela ruas da cidade até à Câmara Municipal para acompanhar a votação no plenário.Todos os 10 vereadores encaminharam favoravelmente ao projeto enviado pelo Executivo e agora, depois de sancionado, Umuarama estará livre do FRACKING. Mais de 50 cidades do Brasil já aprovaram leis banindo o fraturamento hidráulico, tecnologia altamente poluente para extração de gás do xisto do subsolo. Centenas de outros municípios estão discutindo legislação semelhante.

Veja mais imagens deste dia histórico para a cidade da região Noroeste do Paraná que se abraçou ao movimento global LIBERTE-SE DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS e disse NÃO AO FRACKING.

Segundo o fundador da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil e Pela Sustentabilidade e coordenador de Campanhas Climáticas da 350.org, Eng. Dr. Juliano Bueno de Araujo, “os movimentos LIBERTE-SE DOS FÓSSEIS e LIBERTE-SE DO FRACKING realizados na cidade de Umuarama deixam uma marca definitiva no ‘maldito gás da morte’, o gás não convencional derivado da técnica de exploração conhecida por FRACKING”.

O LIBERTE-SE DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS faz parte da onda global contra os fósseis – Break Free 2016 – que em maio promove ações em vários países. No Brasil está sendo articulado pela 350.org Brasil, COESUS, Cáritas Paraná, Fórum Ceará no Clima, Repas, entre diversas organizações climáticas, ambientais e movimentos sociais.
Para saber mais sobre o movimento e detalhes das ações no Brasil basta acessar https://liberte-se.org/ .

Fotos: 350Brasil/COESUS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enquire here

Give us a call or fill in the form below and we'll contact you. We endeavor to answer all inquiries within 24 hours on business days.