Campanha da Coalizão Não Fracking Brasil recebe o apoio do senador Roberto Requião (PMDB-PR)

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) manifestou seu apoio à campanha da Coesus – Coalizão Não Fracking Brasil – realizada em parceira com 350.org Brasil e coordenada pelo engenheiro Juliano Bueno de Araujo.

Iniciada em 2013, a campanha quer impedir a chegada ao país do fraturamento hidráulico, chamado fracking, utilizado para a extração do gás do folhelho pirobetuminoso de xisto. Fracking é uma tecnologia altamente poluidora e danosa ao meio ambiente: Contamina a água com produtos químicos cancerígenos, provoca o vazamento de gás metano para a atmosfera, torna o solo estéril prejudicando a produção agrícola e a pecuária e causa diversas doenças nas pessoas como câncer, problemas neurológicos  e infertilidade nas mulheres. 

O apoio do senador Roberto Requião (PMDB-PR) à campanha contra o fracking no Brasil aconteceu durante a gravação do Programa Jogo da Verdade, da CNT, apresentado pelo advogado Luiz Carlos da Rocha. Na oportunidade, Juliano Bueno de Araujo gravou um programa especial sobre o fracking.
O apoio do senador Roberto Requião (PMDB-PR) à campanha contra o fracking no Brasil aconteceu durante a gravação do Programa Jogo da Verdade, da CNT, apresentado pelo advogado Luiz Carlos da Rocha. Na oportunidade, Juliano Bueno de Araujo (à esq.) gravou um programa especial sobre o fracking.

Eleito este ano presidente da EuroLat (Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana), associação bilateral entre cúpulas de países da União Europeia, América Latina e Caribe, Roberto Requião conhece como funciona a tecnologia do fracking, quais suas consequências, perigos e impactos ambientais, econômicos e sociais.

“As consequências são sérias, inclusive para a sobrevivência do homem no planeta. E são tão terríveis que a Europa está proibindo sistematicamente por contaminar os lençóis freáticos e as grandes reservas de água no planeta”, afirmou o senador. “Nos Estados Unidos, a contaminação da água pelo gás torna-a inflamável, permitindo colocar fogo na torneira”, destacou.

Requião lembrou que em 2014, como presidente da Comissão  de Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente e Política Energética do Parlamento Euro-Latino Americano, apresentou um estudo para debate dos participantes do colegiado sobre a exploração do gás de folhelho de xisto. “Ao contrário dos Estados Unidos que faz fracking em terras desérticas, no Brasil ele não faz o menor sentido”, completou.

Comments
  • Am I the only one who’s infuriated by the likes of her who are born in the US, having nothing to do with Israel they move there and before you know it thy#e&8217;re dictating to the native Palestinians – who are under a military occupation – their future? It strikes me as arrogantly racist.

Comente!

%d blogueiros gostam disto: