PL para impedir a exploração do gás e óleo de xisto em Bela Vista do Paraíso (PR) será votado hoje

Técnica agride gravemente o meio ambiente e a população dos locais que praticam a extração

Hoje (20) estará em votação no Plenário da Câmara de Vereadores do município de Bela Vista do Paraíso (PR), o Projeto de Lei nº 29/2016 que impede a concessão de alvarás ou licenças, tráfegos de veículos em vias públicas municipais, outorga da água e uso e queima de gases na atmosfera municipal que tiverem como objetivo a exploração de óleos e gases não convencionais por meio do fracking, também conhecido como fraturamento hidráulico.

O fracking é uma prática que agride gravemente o meio ambiente por se tratar de um procedimento que perfura o solo e injeta mais de 600 fluídos químicos para fraturar as rochas e liberar o gás de xisto. Para esse processo, é necessário utilizar entre 400 e 600 caminhões tanque de água – dificultando também o abastecimento de água da região. Dentre os principais problemas estão a contaminação do solo, da água e do ar, além de problemas de saúde de pessoas e animais alocados no entorno dos poços.

Para o coordenador e fundador da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS), Juliano Bueno de Araújo, o momento é de suma importância para Bela Vista do Paraíso (PR). “O município está prestes a se confirmar a favor da vida, evitando que toda uma população sofra com as consequências do gás da morte, ou seja, da extração do gás de xisto”, conta. “Há mais de cinco anos lutamos para conscientizar a população acerca destes riscos e a aprovação desse Projeto de Lei no dia de hoje será essencial para a cidade”, complementa.

Mais detalhes sobre a votação serão divulgados em breve.

Conheça a região possivelmente afetada:

Paulinne Rhinow Giffhorn — jornalista da Fundação Internacional Arayara e da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS).

Email : paulinne@naofrackingbrasil.com.br

Telefones : (41)99823-1660 ou (41) 3240-1160 (comunicação)

Comente!