O Verdadeiro Custo do Fracking

Arsênico. Cádmio. Crômio. Radão. Chumbo. Estas são apenas algumas das toxinas usadas no fraturamento hidráulico, comumente conhecido como fracking, um processo de perfuração controverso para extrair petróleo e gás natural de depósitos de xisto abaixo da superfície da Terra.

Preocupações sobre o processo tem se acumulado, enquanto estudos o ligam a uma série de problemas ambientais e de saúde pública, desde aumento na mortalidade infantil e bebês com o peso abaixo da média até a liberação de gases radioativos e causadores de câncer, contaminação de água potável e terremotos. O fracking também libera metano, que é um gás do efeito estufa muito mais potente que o dióxido de carbono.

 

custo_fracking
Arsênico. Cádmio. Crômio. Radão. Chumbo. Estas são apenas algumas das toxinas usadas no fraturamento hidráulico, comumente conhecido como fracking. Photo credit: Christopher Halloran / Shutterstock

 

De acordo com um artigo de 2015 pela Aliança sem fins lucrativos FracTracker, existem pelo menos 1.7 milhões de poços perfurados pelo fracking em todo os EUA, a maioria no Texas, Kansas e Oklahoma, cada um com mais de 200.000 poços. (Antes de 2009, cidadãos de Oklahoma experimentavam uma média de dois terremotos por ano; hoje em dia, acontecem dois por dia).

Ainda assim proponentes do fracking argumentam que este contribuiu para a saúde econômica da nação. Um estudo de 2015 pela National Bureau of Economic Research descobriu que o boom nos perfuramentos impulsionados pela tecnologia do fracking gerou em torno de 725,000 empregos entre 2005 e 2012.

O assunto se tornou uma questão política delicada e polêmica. Enquanto os Republicanos estão geralmente todos a favor, o fracking tem polarizado Democratas, com o Governador de Nova York, Andrew Cuomo, tendo assinado um projeto de lei para banir o fracking no estado inteiro, enquanto a concorrente na corrida presidencial Hillary Clinton dã um apoio experimental, com algumas regulamentações adicionadas.

Enquanto apoiadores têm descrito o fracking como uma ponte para as renováveis (visto que seu processo de combustão é mais limpo que o do carvão, embora o metano liberado pelo processo acabe tornando o processo pior na verdade), fracktivistas afirmam que ele tem um alto custo e é uma distração perigosa do que a nação deveria estar focando no fronte de energia: Mudar para um futuro de baixa geração de carbono baseado nas renováveis.

“O gás natural não é nenhuma ‘ponte’, não significa nenhuma transição para as renováveis”, escreveu Josh Fox, ativista e cineasta conhecido pela sua indicação ao Oscar com o documentário de 2010, Gasland. “É um regime dos fósseis completamente novo que pode ter consequências terríveis … para o clima”.

De fato, existem prós e contras significativos, fazendo do fracking um assunto altamente controverso. O infográfico abaixo, criado por 911Metallurgist.com, disseca detalhes do fracking.

 

Fonte: Eco Watch

Tradução – Wellerson Nunes

 

ecowatch

 

ecowatch2

Leave a Reply

Your email address will not be published.