Em reunião com os membros da Cáritas Brasileira – Regional Paraná, Amauri Antonio Mosmamn e Joseanair Hermes, foi acordada a participação da entidade no movimento global ‘Liberte-se dos combustíveis fósseis’.

Idealizado pela 350.org em vários países, entre eles o Brasil, o movimento LIBERTE-SE realiza em maio diversas ações que fazem parte de uma onda global para pedir o fim de investimento em fósseis como carvão, gás e petróleo, que devem ser deixados no chão.

Aqui, a 350.org Brasil tem como parceiros a COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil e pela Sustentabilidade, Fundação Cooperlivre Arayara, Fórum Ceará no Clima, entre outras organizações climáticas e da sociedade civil. A meta é realizar ações escalonadas em quatro regiões para abandonarmos os fósseis e investir em energias renováveis, 100% limpas e justas. Para saber mais detalhes e como participar basta acessar http://liberte-se.org/ .

Reunião entre membros da COESUS e da Cáritas
Reunião entre membros da COESUS/350.org e da Cáritas – Foto: Paulo S. Lima

“A participação da Cáritas no movimento LIBERTE-SE será de fundamental importância para chegarmos aos moradores das cidades atingidas pelos fósseis, de Norte a Sul do país”, destaca Nicole Figueiredo de Oliveira, diretora da 350.org Brasil e América Latina.

Segundo Nicole, “além de elaboração de material específico para a Cáritas, a parceria prevê a conscientização de bispos e padres nas cidades contra os impactos da exploração dos fósseis, o cuidado da casa comum seguindo os parâmetros da Encíclica do Papa Francisco e a mobilização dos fiéis contra essa indústria suja, poluente e perversa ”.

De acordo com o fundador da COESUS e Coordenador de Campanhas Climáticas da 350.org, Eng. Dr. Juliano Bueno de Araujo, “com esta parceria será possível multiplicar as ações, através da formação de agentes mobilizadores contra o Fracking, e mostrar aos gestores e à indústria do hidrocarboneto que não queremos correr os riscos ambientais, econômicos e sociais que esta tecnologia provoca”.

Paraná contra o Fracking

A Cáritas Brasileira – Regional Paraná já faz parte da Coalizão Não Fracking Brasil, adesão que impulsionou a campanha nacional contra o fraturamento hidráulico, tecnologia minerária que extrai do subsolo petróleo e gás metano da rocha de xisto, chamada FRACKING. No Paraná, um dos 15 estados ameaçados pelo Fracking, a ação da Cáritas tem sido de informar e mobilizar a população.

Nicole Fiegueiredo de Oliveira, da 350.org e Amauri Antonio Mosmamn, da Cáritas
Nicole Fiegueiredo de Oliveira, da 350.org e Amauri Antonio Mosmamn, da Cáritas – Foto: Paulo S. Lima

“Vemos no Fracking uma ameaça real e urgente que precisa ser comunicada aos brasileiros. Nós da Cáritas vamos ajudar a impedir que isso aconteça no Brasil”, garantiu Amauri Antonio Mosmann.

Respaldados pela Encíclica verde do Papa Francisco sobre o cuidado da casa comum, eles entendem que o Fracking representa uma séria ameaça à natureza, aos homens e mulheres e todos os outros seves vivos.

A Cáritas é um organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e integra a Rede Cáritas Internacional, articulada numa rede solidária de mais de 15 mil agentes, a maioria voluntária, com ação por todo o país há mais de 60 anos.

Encontro de base

Na próxima semana, representantes do ‘Movimento Liberte-se dos combustíveis fósseis’ estarão em Umuarama, no Paraná, participando do 7º Encontro Eclesial de comunidades de base que reunirá agricultores familiares organizado pela Cáritas. O evento acontece entre 21 e 24 de abril.

Comente!