Movimento contra termelétrica em Peruíbe sinaliza mais uma vitória

O retorno das atividades legislativas em Peruíbe foi marcado por mais um avanço do movimento Usina Não. Com 14 vereadores presentes, foi aprovada em primeira votação a proposta de emenda à lei orgânica que proíbe a instalação de indústrias poluentes, causadores de chuva ácida – um elemento a mais de força contra a construção de uma termelétrica no município, que utilizaria gás de xisto para produção de energia. O projeto vai à segunda votação no dia 31 de janeiro.

Representantes dos diversos movimentos populares que suportam a causa convocam a população para que se faça presente na sessão, demonstrando aos vereadores que Peruíbe quer um desenvolvimento de verdade e com sustentabilidade, sem destruir o que de mais precioso possui: sua riqueza natural. “Não podemos considerar em nenhum momento esta luta como vencida. Basta lembrar o que ocorreu no fim do ano passado, quando após manobra politica, seis vereadores se ausentaram da segunda votação”, lembra Suelita Rocker, ativista da 350.org Brasil.

Em dezembro, a Cetesb indeferiu o pedido de licenciamento ambiental do empreendimento, alegando seus impactos ambientais e  considerou a movimento popular como parte da decisão.  A decisão trouxe novo ânimo aos movimentos contrários à obra, após a manobra que evitou a aprovação da emenda.

Nos bastidores, levantou-se a hipótese de que os vereadores teriam sido “comprados” pela Gastrading. Frente à intensa oposição popular, os vereadores que se ausentaram da votação negaram tais posicionamentos e se comprometeram na última sessão legislativa de 2017 a aprovar o projeto da emenda, após sua reapresentação pela Frente Parlamentar.

 

Mobilização em defesa do desenvolvimento sustentável

Representantes da 350.org Brasil e da Fundação Arayara estiveram novamente presentes nesta quarta-feira em Peruíbe, apoiando a luta da comunidade. Em ação realizada na praia do Centro de Peruíbe, divulgaram a campanha, conversaram com moradores e turistas e distribuíram adesivos do movimento Usina não. Nas próximas semanas, representantes das organizações oferecerão um curso gratuito de ativismo ambiental na cidade. Mais informações serão divulgadas em breve.

 

 

 

Compartilhe!
Facebooktwittergoogle_pluspinterestmail

Siga-nos!
Facebooktwittergoogle_pluspinterestrssyoutubevimeoinstagrammail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *