Em 6 de Janeiro foram registrados 22 terremotos em Oklahoma, e fracking poderia ser o culpado

Outra rodada de terremotos moderados atingiu a área noroeste de Oklahoma na quarta-feira(06/01). Dois tremores sacudiram o chão por volta de 22:30 com magnitudes de 4,7 e 4,8. Vários tremores menores também foram registrados.

Pelo menos 22 tremores da terra, registrando a magnitude 2,5 ou mais, foram notificados em todo o estado ao longo de um período de 13 horas de quarta-feira para quinta-feira, a maioria foi em Woods County, disse o US Geological Survey (USGS).22647196194_a5136c5083_o

Não houve feridos, de acordo com a polícia de Fairview, Okla., onde os terremotos aconteceram, cerca de 100 milhas (ou 161 Km) distante de Oklahoma City. No entanto, vários moradores contaram a uma estação de televisão local, que o terremoto gerou algum dano em suas casas.

Dale Grant, geofísico do USGS, disse à Associated Press que os dois terremotos maiores provavelmente foram sentidos em até oito estados vizinhos.

De acordo com o Serviço Geológico dos Oklahoma (OGS), a magnitude 4,8 terremoto foi o quarto mais forte já registrado em Oklahoma, um estado que tem visto uma onda de terremotos desde que começou a permitir o fraturamento hidráulico.

Em abril, a OGS disse que a maioria dos terremotos recentes do Estado foram causados pela injeção de águas provenientes de operações de perfuração de petróleo e gás natural, que se tornou cada vez mais comum nos últimos anos.

Richard D. Andrews e Dr. Austen Holland disseram na época dos terremotos que “é muito improvável que representem um processo que ocorre naturalmente”, com os dados que indicam o número de terremotos provavelmente estão ligados a perfurações.

Em 2013, Oklahoma experimentou 109 terremotos em mais de magnitude-3. Em 2014, esse número aumentou cinco vezes para 585, enquanto em 2015 o número de terremotos aumentou ainda mais, disse a OGS.

Geólogos disseram que antes de 2009, a media histórica do estado era de 1,5 terremotos de magnitude-3 ou maior a cada ano, e agora está experimentando 2,5 terremotos de mesma magnitudes a cada dia.

A taxa média atual de terremotos é aproximadamente 600 vezes à média histórica, de acordo com o governo estadual.

“Enquanto nós entendemos que Oklahoma tem historicamente experimentado algum nível de sismicidade, sabemos que o recente aumento dos terremotos não podem ser totalmente atribuído a causas naturais”, diz o Estado. “Os sismólogos têm documentado a relação entre a eliminação de águas e o acionamento de atividade sísmica. O Serviço Geológico dos Oklahoma determinou que a maioria dos recentes terremotos em Oklahoma central e centro-norte são muito provavelmente desencadeada pela injeção de água nos poços de exploração”.

Captura de Tela 2015-10-26 às 14.12.07Um porta-voz do órgão regulatório de petróleo e gás disse ao The Christian Science Monitor no ano passado, que as autoridades agora estão conduzindo a avaliações de risco de terremoto para futuros poços e também estão restringindo poços de operar em determinadas áreas do estado.

A Oil and Gas Association Oklahoma, no entanto, contesta as conclusões do Estado. “Pode haver uma ligação entre terremotos e os poços de exploração , mas ainda não sabemos o suficiente sobre como a injeção de água impacta no subsolo de Oklahoma”, disse o presidente OKOGA Chad Warmington à Reuters.

No ano passado, um relatório divulgado por um grupo de sociólogos, pesquisadores e representantes da esmagadora indústria de petróleo e gás liga o fraturamento hidráulico ao aumento dos terremotos.

O grupo disse que existem cerca de 151 mil poços que operam nos Estados Unidos, enquanto na parte central e oriental dos terremotos do país têm aumentado dramaticamente desde 2008, quando fracking se tornou mais comum.

A media da região era de 21 terremotos de magnitude-3 e maior a cada ano entre 1973 e 2008. Mas entre 2009 e 2013 esse número subiu cerca de 100 terremotos por ano da mesma magnitude.

Variações nas leis estaduais de perfuração e geografia tornaram a regulamentação federal difícil, de acordo com uma pessoa envolvida no relatório.

“Uma abordagem única não seria uma ferramenta eficaz para os reguladores estaduais”, disse o relatório.

 

FONTE: http://www.businessinsider.com/fracking-may-be-culprit-in-22-oklahoma-quakes-2016-1

Compartilhe!
Facebooktwittergoogle_pluspinterestmail

Siga-nos!
Facebooktwittergoogle_pluspinterestrssyoutubevimeoinstagrammail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *